Navigation – Plan du site

Brasileiro Geografia Política e Geopolítica

L'Espace politique, n°31 (1-2017) - Prazo para apresentação das propostas: junho 2016
Gutemberg de Vilhena Silva et Hervé Théry

A relação entre espaço e política, alicerce da Geografia Política, e a interface entre espaço e poder, pilares dos fundamentos geopolíticos, têm sido repensados na produção intelectual brasileira no curso das últimas décadas. O interesse por estes temas de pesquisa, permitem compreender o mundo e suas configurações territoriais, os quais muito evoluíram no Brasil a partir da publicação de inúmeros artigos e livros.

  • 1 CONGEO (2014); Rückert (2014) e Rückert; Richard (2015).

O I Congresso de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território (I CONGEO, 2014), ocorrido no Rio de Janeiro (Brasil), em 2014, apontou vários caminhos pelos quais pesquisadores e seus grupos estão atuando no Brasil em relação à proposta deste dossiê1. A partir dos 5 eixos norteadores do Congresso foi possível identificar algumas tendências na produção brasileira em geopolítica e em geografia política. Temas clássicos como as disputas territoriais; questões fronteiriças - fechamento ou interação; o papel do voto e o pacto federativo, além de temas mais atuais - como a integração regional - foram a base para boa parte dos artigos enviados e apresentados no I CONGEO.

Pensando na multiplicidade de temas em Geografia Política ou em Geopolítica que hoje despertam o interesse dos pesquisadores brasileiros, desde discussões clássicas revisitadas até temas emergentes e atuais, este dossiê se propõe a receber textos escritos por pesquisadores brasileiros sobre algum tema atinente a um desses dois campos de saber enfatizados no dossiê. O mais importante não é a escala geográfica de análise e sim a qualidade e pertinência das contribuições dos manuscritos enviados.

Ao recebermos os papers, haverá um filtro inicial por parte dos organizadores do dossiê considerando: aporte teórico, metodologia, principais contribuições, adequação ao dossiê e às diretrizes para autores da L’Espace Politique. Em seguida, os manuscritos filtrados serão encaminhados para dois avaliadores ad hoc. A revista publica artigos em francês ou inglês. No entanto, considerando o caráter desse dossiê temático, a primeira versão do manuscrito poderá ser enviada em português.

Após o aceite para publicação com as devidas correções, se for o caso, o/s autor/es do artigo aprovado deverá/ão, por sua conta própria, traduzirá/ão ou enviará/ão para tradução os manuscritos para o francês ou para o inglês, levando-se em conta o calendário da publicação deste dossiê.

Eixos norteadores do dossiê

1. Enfoque epistemológico da Geografia Política/Geopolítica no/do Brasil

Este eixo objetiva tratar do pensamento brasileiro em relação a um ou aos dois pilares do dossiê. Embora já tenhamos vários livros e artigos publicados por pesquisadores brasileiros sobre tais pilares, há ainda uma relativa carência de estudos atualizados que apontem direções teóricas e epistemológicas no século XXI.

2. A Geografia Eleitoral

O comportamento eleitoral fornece elementos relevantes para compreender os fenômenos políticos. A decisão do voto é fruto de variáveis múltiplas construídas na vida do eleitor. Tais variáveis não são estáveis, sendo o eleitor um ator que se configura e reconfigura como sujeito político. O Brasil é um campo fecundo e ainda pouco explorado na Geografia Eleitoral. Analisar, pelo viés da geografia eleitoral, o comportamento eleitoral, os arranjos político-partidários, entre outras expressões, é o desafio que se apresenta neste eixo temático.

3. A Questão Federativa, Localismos e Regionalismos no Brasil

O pacto federativo, o localismo e os regionalismos são marcas históricas e geográficas do Brasil. As três são de base territorial, em que grupos localizados espacialmente se organizam na busca da harmonização face suas demandas particulares, além de seus interesses mais amplos. A tensão e os arranjos institucionais que ocasionam controles e conflitos são as expressões que interessam de forma geral. No dossiê, o importante são análises como poder local e o federalismo brasileiro, os regionalismos e as identidades na formação ou nos obstáculos para a criação de novos territórios; além de todas as outras propostas que tratam da temática privilegiada.

4. As Questões Fronteiriças

As fronteiras internacionais sempre estiveram nos alicerces tanto da Geografia Política quanto da Geopolítica. Atualmente, o Brasil possui vários grupos de pesquisa ou mesmo pesquisadores que – individualmente - analisam questões importantes das fronteiras do país. Neste tópico serão privilegiadas análises teóricas, mas - acima de tudo - uma geografia aplicada dos estudos fronteiriços, com destaque para segurança internacional, interações transfronteiriças, políticas migratórias, entre outros.

5. Brasil: Crescimento, influência, atores políticos e econômicos

Em que pese sua situação atual, o Brasil é um país com uma economia robusta que dispõe de uma influência considerável no mundo. Esta dimensão importante deve ser objeto de avaliação. Como o Brasil construiu sua dimensão de país “Grand puissance” e com quais estratégias? Foi em razão de quais parcerias e escalas no mundo? Se apoiou sobre que suporte diplomático? Ativou as redes lusófonas? Os temas seguintes também são interessantes para este eixo: a projeção do Brasil na América do Sul, integração regional por macro-projetos; instabilidade financeira, a relação entre tecnologia e poder, e as expressões múltiplas de poder do Brasil; a Amazônia Azul; o papel da Amazônia como fronteira tecno-científica; a geopolítica dos recursos estratégicos.

Calendário

06/2016: Recebimento dos manuscritos e encaminhamento para análise dos pareceristas.
09/2016: Seleção dos manuscritos e encaminhamento para revisão, quando for o caso. (60 000 toques no máximo, incluindo tudo)
10/2016: Envio dos artigos revisados para os organizadores, quando for o caso.
11/2016: Tradução dos artigos para francês ou inglês.
01/2017: Publicação do dossiê. n°31 (1-2017)

Contato

Obrigado a enviar a sua proposta de artigo para os dois coordenadores da emissão: Silva Gutemberg de Vilhena (bgeografo@gmail.com) e Hervé Théry (hthery@aol.com).

Bibliographie

I CONGEO, 2015, I Congresso de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território. 2014. Programação Final, Disponível em: http://www.geo.puc-rio.br/congresso/wp-content/uploads/2014/10/programacao.pdf, acesso em 28 julho 2015.

RÜCKERT A., 2014, « I Congresso Brasileiro de Geografia Política », Geopolítica e Gestão Territorial. Confins, Paris, v. 22, p. 1-8. Disponível em: http://confins.revues.org/9879. Acesso em 28 julho 2015.

RICHARD Y., 2015, « Premier congrès brésilien de géographie politique, géopolitique et aménagement du territoire », L'Espace Politique, v. 23, p. 1-8. Disponível em http://espacepolitique.revues.org/3167. Acesso em 28 julho 2015

Haut de page

Notes

1 CONGEO (2014); Rückert (2014) e Rückert; Richard (2015).

Haut de page
  • Logo Université de Reims Champagne-Ardenne
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Revues.org